A Escola | Cursos | Professores | Artigos | Links
 


Melhore o desempenho de seu PC de áudio

Sérgio Izecksohn

Todo mundo, em algum momento, se queixa do seu computador. São interrupções na execução das músicas, estalinhos, travamentos, lentidão, incompatibilidades com alguns programas. Mas, ao tomarmos algumas precauções, podemos evitar vários desses problemas e até nos surpreender com a sua nova performance. Aumente o número de pistas gravadas e de plug-ins usados simultaneamente. Evite estalos no som e perdas de sincronismo entre as pistas. Diminua a latência. Diversas sugestões são apresentadas aqui para fazer o seu computador de áudio voar.  

Cada computador é diferente do outro. Hardware, software, configurações físicas e virtuais são praticamente impossíveis de se repetir de uma máquina para outra. Em comum, quase todos esses bichinhos de estimação têm um certo mau-humor. Às vezes, tudo funciona que é uma beleza, menos o programa que motivou a compra da máquina. Tem também a máquina que sempre trava na presença dos clientes e nunca na frente do técnico de manutenção.

Mas há computadores que são um justo motivo de orgulho para seus donos, e nem sempre são caros. Rápidos, obedientes, inteligentes e versáteis, quase sempre foram montados ou mandados montar por quem convive com eles no dia-a-dia, os maiores interessados no seu funcionamento. E este é mais um bom motivo de orgulho: "fui eu que fiz!"

PC montado por você. Há três tipos de computador. O computador de marca (Dell, IBM, Compaq, Itautec), o de fundo de quintal (ofertas "irresistíveis" dos cadernos de informática) e o que a gente mesmo faz ou manda fazer. As vantagens da última opção são inegáveis. Podemos escolher todas as peças, para só usar produtos de primeira linha, e todas compatíveis entre si. E ainda economizamos em relação ao custo dos PCs de marca. Com isso, evitamos sérios conflitos de hardware que acontecem entre placas-mães, placas de vídeo e de som, entre outros.

Use HDs e CPU rápidos o suficiente. Escolha um processador recomendado pelos fabricantes de hardware e software de áudio, como o Intel Pentium ou o AMD Athlon XP. A sua velocidade ou clock é diretamente proporcional ao número de plug-ins e sintetizadores virtuais que podemos usar ao mesmo tempo. Mas a diferença de preço entre diferentes clocks é, muitas vezes, desproporcional. Escolha pelo custo-benefício. O hard disk deve ser rápido para suportar a execução simultânea de muitas pistas de áudio. Os do tipo Ultra-DMA permitem tocar ao mesmo tempo muitas dezenas de pistas gravadas.

Ponha mais memória. A memória (ou a falta dela) é a responsável pelo computador atuar mais "acordado" ou mais "sonolento". Para carregar uma penca de plug-ins e sintetizadores, precisamos de bastante memória. Hoje, é bom usar pelo menos 512 MB. Um giga de RAM deixa o computador bem à vontade. Não use menos de 256 megabytes para gravar e mixar áudio.

Se for aumentar a memória, use pentes rigorosamente idênticos, em tudo. E memória de marca, como NEC ou MT, deixa o computador mais rápido.

Desfragmente com freqüência o seu HD. Os discos de música, como o CD e o vinil, gravam as informações seqüencialmente, numa espiral de dentro para fora (CD) ou de fora para dentro (vinil). Discos de dados, como o disco rígido do computador, registram as informações em pequenos setores ao longo do disco. À medida que as informações vão sendo processadas e substituídas, vão ocupando ou esvaziando os setores de forma cada vez mais desorganizada, deixando muitas "clareiras" no disco.

Desfragmentar é como arrumar o nosso quarto, colocando tudo em ordem: a sensação de mais espaço, tudo no seu lugar, fácil de achar. Com as informações todas arrumadas em seqüência, sobra uma grande área livre para o HD gravar novos dados e fica muito mais fácil para o Windows localizar as informações.

Ao desfragmentar seu HD, use um no-break, um pequeno gerador de eletricidade que é ativado automaticamente por alguns minutos quando falta luz. Há diversos casos relatando perda total de hard disks por interrupção no fornecimento de energia elétrica durante a desfragmentação. Faça durante a noite ou tire um dia de folga: leva horas. Feche todos os programas. Clique em <Iniciar>, <Programas>, <Acessórios>, <Ferramentas do sistema> e em <Desfragmentador de disco>.

Se você grava som freqüentemente, procure desfragmentar o HD pelo menos uma vez por semana, para mantê-lo sempre ágil.

Use 16 bits de cores no vídeo. Melhore o desempenho usando 16 bits de cores em vez de 24 ou 32 bits. Para mudar a quantidade de cores, na área de trabalho do Windows, clique com o botão direito sobre um espaço livre e então clique em <Propriedades>, <Configurações> e <Cores>. Não use protetor de tela, desktop ativo ou recursos de economia de energia do HD ou do monitor. Nem use jamais aqueles lindos desenhos animados para proteger a tela, que aparecem bem no meio da mixagem, paralisando a música. Aliás, há muitos anos os monitores de vídeo SVGA dispensam estas proteções.

Desabilite sons e programas de fundo. Os sons do Windows são fonte de conflitos com os programas de gravação. Clique em <Meu computador> e em <Painel de controle>. Depois, em <Sons e multimídia>, <Sons> e na lista <Esquema> escolha <Nenhum som>.

Diversos programas se abrem junto com o Windows e ficam funcionando o tempo todo. Alguns, nós nem percebemos. Por exemplo, o Norton Internet Security é uma excelente ferramenta. Cioso de suas responsabilidades Mr. Norton fica a todo instante contando o que está fazendo e perguntando se pode fazer mais umas outras tantas coisas. Numa máquina de internet, este comportamento do programa é louvável. Num computador de gravação, é tudo o que não queremos. Desabilite as funções automáticas do antivírus e do firewall e passe a executá-las manualmente, para não interromper o pesado fluxo de dados do áudio.

Clique em <Iniciar>, depois em <Executar> e então digite “msconfig” e clique em <OK>. No utilitário de configuração do sistema, clique em <Iniciar> e - só se souber bem o que está fazendo - desabilite os programas que não deverão mais iniciar sozinhos. Clique em <OK> e reinicie o computador, o que deverá acontecer mais rápido do que na última vez...

Evite programas desnecessários. Muitos computadores comprados prontos vêm com uma série de programas já instalados, como antivírus, conexões à internet, editores de texto e programas gráficos. Depois, instalamos novo hardware e, com ele, mais uma penca de programas, que às vezes são concorrentes até inferiores de outros que já temos. Um exemplo são os programinhas para tocar MP3, alguns mais pobres que o próprio Windows Media Player. Fora programas de CDs de revistas e outros baixados da internet por curiosidade. Aliás, programa gratuito, muitas vezes, só é gratuito porque não é bom, com honrosas exceções.

Os programas desnecessários desorganizam o seu hard disk e usam memória no registro mesmo quando não estão sendo utilizados. Quando mal-escritos, podem causar instabilidade ao sistema. Muitos rodam continuamente ao fundo, roubando tempo de processamento de seus programas de áudio.

A formatação do HD é a maneira mais rápida e segura de nos livrarmos de programinhas indesejáveis, embora traga alguma dor de cabeça com backups, novas instalações e configurações de programas. Caso não seja recomendável, ao desinstalar cada software, certifique-se de que suas entradas no registro do Windows foram todas removidas, como veremos adiante.

Atualize os drivers das placas de áudio e MIDI. Visite sempre os sites dos fabricantes de suas placas e mantenha-as em dia, baixando dessas páginas e instalando o software compatível com o seu Windows. Se usa o Cakewalk SONAR, use os drivers WDM das placas de som.

Reinicie a máquina a cada instalação ou desinstalação. Para que o registro do Windows tenha armazenadas as informações corretas sobre programas instalados ou desinstalados, mande reiniciar o computador sempre que for alterar a sua base de programas. Se você, por acaso, pretende instalar meia dúzia de programas, convém reiniciar o PC meia dúzia de vezes, cada uma após uma instalação.

Limpe as entradas dos programas desinstalados no registro do Windows. Isto pode fazer a diferença entre um programa rodar ou travar. Dois programas estavam dando conflito. Você desinstalou um deles e o conflito persistiu. Desinstalou e reinstalou o outro e os problemas continuaram. No registro do Windows, permaneceram intactas dezenas ou centenas de entradas referentes ao programa brigão, que, mesmo depois de desinstalado, insiste em impedir o outro de funcionar. É preciso retirar essas entradas do registro. Mas registro não é coisa com que se brinque.

O registro do Windows é um banco de dados que contém, entre outras coisas, informações sobre o hardware e o software instalados. Muitos programas guardam ali detalhes sobre suas próprias configurações, o que torna o registro um lugar curioso e perigoso. Acesse o editor do registro clicando em <Iniciar> e em <Executar> e teclando “regedit”, sem as aspas. É fundamental retirar as informações sobre os programas ou demos desinstalados, mas é arriscado. Um excelente programa freeware que limpa automaticamente as entradas no registro dos programas que determinamos é o RegCleaner.

Informe-se. Converse com outros usuários, leia revistas e participe de fóruns específicos na internet. E mantenha sua máquina sempre em boas condições.


Sérgio Izecksohn (sergio@homestudio.com.br) é músico, produtor e professor-coordenador dos cursos do Home Studio


Publicado na Revista Backstage em 2003